Segunda, 11 de dezembro de 201711/12/2017
86 99521-2685
Parcialmente nublado
25º
26º
37º
Teresina - PI
Erro ao processar!
whmcs
POLÍTICA
Plenário da Câmara rejeita denúncia contra Temer e ministros.
Manchetes Brasil
Da Redação TERESINA - PI
Postada em 26/10/2017 ás 00h22 - atualizada em 26/10/2017 ás 00h32
Plenário da Câmara rejeita denúncia contra Temer e ministros.

O presidente Michel Temer acena para jornalistas e faz sinal de positivo ao deixar hospital após tratar uma obstrução urológica (Antonio Cruz/Agência Brasil)

VEJA 

 


A segunda denúncia da Procuradoria Geral da República contra Michel Temer foi arquivada na noite desta quarta-feira pela Câmara dos Deputados. 251 votaram contra a autorização para que o Supremo Tribunal Federal investigasse o presidente ainda durante seu mandato.


 

No entanto, desta vez, Temer teve menos votos do que na primeira denúncia. Em agosto, ele conseguiu 267 .A oposição conseguiu 233 votos nesta quarta-feira, seis a mais do que na primeira denúncia. 

Foram quase quatorze horas de sessão. O processo de votação teve início por volta das  cinco da tarde, quando 342 deputados registraram presença.



 


Durante o todo o dia, a oposição se negou a comparecer. A falta de quórum foi uma estratégia para adiar a votação até o período da noite, quando, segundo eles, os brasileiros poderiam estar em casa para acompanhar ao vivo. O objetivo era expor os deputados favoráveis a Temer.


No entanto, muitos deputados da base também demoraram para comparecer ao plenário e foram criticados. O deputado João Gualberto, do PSDB, falou sobre a troca de favores entre Temer e seus aliados.


Pela manhã, o relator do caso na CCJ, deputado Bonifácio de Andrada, do PSDB, afirmou que as acusações não tinham provas e atacou a Procuradoria-Geral da República que, segundo ele, estaria agindo como oposição. Os advogados dos ministros denunciados escolheram concentrar a defesa no ataque a atuação do Ministério Público, assim como Eduardo Carnelós, advogado de Temer.


 No fim da tarde, durante a fase de discussão, o líder do PSDB, Ricardo Trípole, fez questão de destacar que apesar do relatório ter sido escrito por um tucano, ele não representava a posição do partido.


Pouco antes das nove da noite, 172 deputados já tinham votado a favor do relatório e com isso era impossível reverter o arquivamento. O clima entre os governistas dentro do plenário foi de comemoração discreta, alguns tiraram fotos, trocaram cumprimentos e outros começaram a ir embora. Deputados da oposição ergueram placas com as expressões vergonha e ladrão de direitos.


A PGR acusa Temer de obstrução de Justiça e de liderar uma organização criminosa envolvendo outros membros do PMDB, que teria movimentado cerca de 587 milhões de reais em propina desde 2006, utilizando para isso diversos órgãos públicos. Com a decisão desta quarta-feira, essas acusações apenas só poderão ser investigadas depois que Temer deixar a presidência da república.

FONTE: Agencia Brasil
tags:
• temer
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários